sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Dicionário das Coisas do Amor | RESIGNAÇÃO


domingo, 6 de abril de 1997 15:11:08
________________
Ontem tentei viver e não tive sorte.
Hoje estou triste.

Me vem chegando uma melancolia,
um vazio que se alimenta dos fracassos e digere, lentamente, cada minuto desse dia.
Muito mais do que derrepente
Me vejo sozinho no meio desta chuva...
Me sinto perdido no meio desta tarde.
Penso em você e me sinto mais confuso ainda,
Querendo acreditar que,
Algum dia, possa haver aliança entre nós.

Neste mundo de possibilidades em que vivo,
A incerteza legisla,
Dita,
Explora
E oprime.

Na condição de vassalo
É que busco caminhos sem pedras nem perdas.

Busco rotas, estradas, pontes, passagens...
Busco qualquer fissura nas paredes das possibilidades
Por onde eu possa escoar, evaporar, fugir e me libertar das incertezas.

Mas está difícil,
E se difícil sempre a minha vida foi,
Quero lembrar que também não é fácil a vida dos outros.

Só assim me conformo,
Me aquieto,
Me resigno.

*