quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Dia a dia...

...Na guerra nossa de cada dia
Eu luto contra tudo
Em qualquer lugar onde estou
Me sinto um alvo
&
Carrego uma arma



Onde vou, arrasto prisioneiros
Liberto reféns
Faço ameaças
Sou amedrontado...



Eu luto contra tudo
Sou inimigo e aliado
Sou herói e desertor

Todo oprimido tem uma fisgada de opressor


Eu luto contra tudo que trago em mim:
Contra o que sou
Contra o que posso vir a ser

Eu respiro, eu suspiro, eu transpiro e me retiro devastado
(como Príamo, fugindo de Tróia)
Devastado, mas Rei da terra destruída que sou!