Páginas

Olá...

Obrigado por visitar nosso Cotidiano. Estamos escrevendo algumas coisas e fotografando outras desde 2008. Esperamos que gostem!

Visitantes agora

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Eu


Vem mar, circundar minha ilha
vem me retalhar a golpes de quilha
vem me desafogar


vem me salvar do absurdo que sou...
vazar dores... pescas tristezas


vem oxidar o que há de ferro em minha alma


vem mapear-me o deserto


vem para perto
vem aberto
vem conhecer-me, que eu a mim mesmo não conheço
vem me contar quem sou...

*

domingo, 21 de setembro de 2008

Janelas da alma


Não veem saída, meus olhos...
não veem água para o incêndio
nem para a ilha que sou

não veem vento para meu coração eólico
nem mar para meus naufrágios


meus olhos não gostam de lágrimas
Só veem a própria angústia
e não gostam do que veem!


@zekrodrigues

sábado, 20 de setembro de 2008

Dicionário das Coisas do Céu | NOITE


Percorrido todo o caminho,
por fim, resta Dele a aura apenas,
que, doirada, apaga-se muito lentamente,
flertando o corpo da noite e convidando a própria escuridão a assumir seu ofício
de, uma a uma, acender todas as estrelas.

.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Dicionário das Coisas do Céu | DEUS


Uma estrela que acende no escuro do céu,
é só mais uma estrela acesa no escuro do céu -
que as pessoas olham,
admiram
e contam e esperam cair para pedir coisas impossíveis a Deus.
Mas uma estrela que se acende no escuro da alma,
esta sim: é o próprio Deus.
 
.

OS ÓRGÃOS

Meus olhos sonham mais que vêem.

Meu coração, coitado, bate acelerado na estrada da vida.
Mas sonha mais que bate... bate distraído, a sonhar...

Meus órgãos todos fazem mais o que gostam, do que o a que são destinados fazer,
e todos eles gostam mais de sonhar:

Pés que sonham mais que pisam...

Brasos que se balançam mais que abraçam - agarados ao tronco do corpo,
como crianças nos galhos das árvores - seu sonho é serem meninos gêmeos.

Minhas pernas morrem por não serem escadas, por onde qualquer um chegasse ao céu.

E a barriga, bem no centro de tudo em mim, só queria fugir
para conhecer o horizonte dos extremos e, quem sabe, um dia, ver um pôr de sol.
O peito - e nem poderia ser diferente - quer um escudo e uma manta,
pois que todas as dores e todos os frios da vida sempre pernoitam por lá...

Os pulmoes queriam respirar gás hélio, para também viajar pelos ares, como os balões...

E os meus olhos, tadinhos, já disse: sonham mais que vêem...






sexta-feira, 12 de setembro de 2008

A GUERRA

...Tudo vai e vem!... Olho longe, espero que venha o que se foi, mas ainda nada vem... Acredito: a vida vai e vem como as marés, mas não sei em que fase da lua estamos. Não sei em qual batalha perdi minhas armas. Não sei em qual derrota entreguei minhas defesas. Não sei para onde poderei fugir assim... perdido!... Olho longe indefeso horizonte, não vejo respostas ali. Vou ao mar, vejo a maré subir, respiro fundo, tomo ar, ouço a praia cantar e me preparo para seguir com as unhas e os dentes que sobraram... é guerra, mas não quero alvejar, quero sorrir... Não quero me camuflar, quero me descobrir... Não quero acusações belicosas, quero corresponder compreensões... Não quero o rubro do sangue, quero o azul do céu... Não quero o abraço das trincheiras, quero a pirotecnia do amor... Não quero a insônia dos canhões, quero o amanhecer das crianças...

http://www.ezequielrodrigues.com/

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

NAUFRAGO


eu ando pela vida buscando a vida

vez por outra a encontro e seguimos juntos...
outras vezes tropeço nela...

eu ando pelo mundo buscando viver

eu ando mudo pelo mundo

eu ando pelo mundo sem ver... sem ter... sem ser nada
meu mundo é aberto como um mar desfeito

e lá, corre essa correnteza que trago no peito
sem que haja jeito de se acalmar.

eu ando pela vida navegando esse mar
ida e volta
uma amarra se solta
uma onda me bate
e não há jeito: ... é naufragar...!


.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

"UM LOUCO É AO MENOS ALGUÉM..."


Em mim mora alguém
não sou só dentro de mim.
em mim mora algum conquistador perdido
alguém se perdeu dentro de mim.
aqui, por mim, corre alguém aflito
às vezes calado, ... às vezes aos gritos...
estou habitado por diversos "alguéns"
alguém ri de mim
alguém me quer
alguém envelhecendo
alguém contente
alguém com tanto sol
alguém sem ninguém
alguém só no sal de um mar de coisas demais
os meus "alguéns" buscam-se
nesta terra de ninguém que sou eu!
__________________



.

sábado, 6 de setembro de 2008

Dicionário das Coisas do Céu | VERDADES


as verdades são como crianças,
e por isso, talvez, as crianças sejam tão verdadeiras.

Busca tuas verdades nos recônditos.

Toma de volta as verdades que jogastes fora
dizendo-as na cara dos retratos,
pois retratos
- estejam eles nas paredas, nos porta-retratos ou em caixas de sabato -
retratos não absorvem verdades.

Toma de volta as verdades que com tanta sede dissestes a copos de pinga
e garrafas de cerveja.

Quantas verdades já escrevestes,
queimastes,
perdestes,
esquecestes,
molhastes com lágrimas?...

Quanta verdade morreu anônima, órfã de tua língua covarde?

As tuas verdades... busca nos teus reconditos,
pois as verdades são como crianças:
gostam de brincar de esconder...


.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

CAMINHO COMUM

o meu caminho eu mesmo traço. O meu caminho eu faço passo a passo, sozinho. O meu caminho é distante, mas uso um andar elegante, cantante, contente e sigo. O meu caminho é meu abrigo. O meu caminho é amigo, é íngreme, é duro, é puro, é (in) seguro, é latente, é tortuoso, é extenso, intenso, tenso... o meu caminho é comum! O meu caminho me leva sempre a algum lugar à beira-mar.
_________________
http://www.ezequielrodrigues.com/