sábado, 22 de fevereiro de 2014

Das coisas que não podem parar, já tenho o coração e o tempo.

Cotidiano da Alma. Ezequiel Rodrigues.
       
        Das coisas que não podem parar, já tenho o coração e o tempo.  E o tempo todo estive em movimento sem chegar realmente a lugar nenhum. Estive a sonhar com grandes coisas mas a realidade me veio pequena. Estive pronto para tudo e apenas o nada me aconteceu. Ainda assim construi minha fortaleza e vivo protegido nela.

        Hoje não tenho tempo para ressentimentos. Sou conformado com as minhas angústias. Domei a todas e as mantenho sob chicote. Não as posso destruir e não deixo que me destruam. Convivemos assim. Está dando certo! Me mantenho nem muito feliz nem muito triste. Apenas vivo os dias que vão chegando, um a um, devagar, no ritmo do tempo de Deus. 

Fortaleza dos Reis Magos. Natal. Rio Grande do Norte.

         
       Assim, vivo minha própria vida. Gosto de acordar cedo. Gosto de janelas grandes e abertas. Detesto cadeados, trancas e grades. Não troco meus pés descalços por sapatos de ninguém. Gosto de dias sem compromissos. Gosto do vento que faz embaixo das árvores e a conversa dos pássaros. Gosto do cheiro de maresia e de todos os barulhos do mar. E à hora do sol se por não preciso de mais nada que não seja estar ali. Pensando nas poucas pessoas que sei que pensam em mim.

         Aprendi que a melhor forma de manter-se longe do mal e ser bom e fazer o bem. Ninguém é de todo mal que não consiga fazer algo bom por alguém. Uma pessoa boa é naturalmente protegida contra certas coisas das pessoas ruins. Creio que e confiança em Deus é o "amuleto" para estar vivo em segurança.

Cotidiano da Alma. Ezequiel Rodrigues.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

E tudo que tenho (que realmente considero meu) é a pessoa que sou.

Ezequiel Rodrigues. Cotidiano da Alma. Natal. Rio Grande do Norte.



     Ando um tanto sem tempo para lamentar seja lá o que for. E não tenho tempo a perder com quem só tem tempo para si mesmo. Não tenho e não sou nada. E o que me faz feliz é a absoluta ausência de pretensão em ser ou ter coisa real ou abstrata em âmbito social e material. Não devo a ninguém explicações sobre o que fiz ou faço ou farei. Apenas devo a mim mesmo a obrigação de fazer-me feliz. Se fracassei alguma vez, é que deleguei essa tarefa a outras pessoas.

     Fazer e querer coisas boas não pode trazer coisas ruins como recompensa. O tempo transformou alguns dos meus sonhos em pesadelos, mas ainda assim não quis acordar deles. É preciso saber o instante da fuga e o momento da luta. A minha vida é tão simples que se alguém se interessa por ela (Sem a intenção de ajudar ou viver uma vida simples comigo) torna-se de imediato uma pessoa ridícula. Guardo pequenos prazeres em grandes paixões e certas coisas da vida doeriam mais se eu visse em mim mesmo um bosta qualquer. Aprendi que a felicidade exige que se saiba viver com aquilo que se tem. E tudo que tenho (que realmente considero meu) é a pessoa que sou.  

Fotos e texto: Ezequiel Rodrigues | @zekrodrigues

Ezequiel Rodrigues. Cotidiano da Alma. Natal. Rio Grande do Norte.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Cotidiano das coisas do homem do mar

A vida de um homem do mar por Ezequiel Rodrigues

Avaliação e Auto-ajuda de pescador e seu modo de viver e ver.

Correr atrás de papel de qualquer espécie ou valor nunca fez parte do meu cotidiano e razão de viver. Ao invés disso, finquei meus pés no chão do mar, como se dali retirasse do próprio Deus a energia que me mantêm vivo (e confesso que uma de minhas grandes alegrias é estar à beira-mar. Gostaria mesmo era de não ter função longe dali, como um barco qualquer que depois do trabalho descansa emborcado na areia). 

Ser grande não é minha prioridade. O querer ser grande consome toda uma vida e consumir a vida com sonhos de grandeza não me atrai. Ao contrário: me atraem as coisas pequenas e simples. Grandeza que não seja do céu, do mar ou de amor não me seduz. Grandezas construídas às custas de qualquer tipo de opressão ou obrigação não é grande para mim. 

Não sou ninguém importante e isso me alegra. Não ser importante, não ter títulos nem posses (nem ter desejo de os ter) me possibilita viver a felicidade dos pequenos desconhecidos; da vida sem grandes atropelos, correrias, cobiças, invejas, pactos, traições, falsidades... Nada disso existe na vida que levo. 

E a vida que levo me leva a continuar querendo viver assim. 

Ezequiel Rodrigues | @zekrodrigues

Amor de infância guarda uma esperança que não morre

Namorados namoro namorar jovens adolescentes casal

Namorados namoro namorar jovens adolescentes casal

Namorados namoro namorar jovens adolescentes casal

Namorados namoro namorar jovens adolescentes casal

Amor de infância guarda uma esperança que não morre.

Olho o velho quarto onde crescemos e imagino quantas vezes os seus dedos tocaram o interruptor para acender ou apagar a luz...
Quantas vezes a porta se abriu para você entrar. Quantas vezes você dormiu ali. E todos os sorrisos e lágrimas e aventuras e planos e projetos e tudo mais que ali nasceu, viveu e morreu.

Algumas vezes um toque, um olhar, um gesto, um sorriso que durou apenas uma fração de segundos, fica com você por toda sua vida.

Algumas vezes precisamos perder aquilo que amamos para só então percebermos que amamos tanto aquilo que não podemos viver com a sua ausência.

@zekrodrigues