Páginas

Olá...

Obrigado por visitar nosso Cotidiano. Estamos escrevendo algumas coisas e fotografando outras desde 2008. Esperamos que gostem!

Visitantes agora

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

...mas a vida de ninguém é um cinema!

A minha casinha tem um jardim de baobás onde brincam crianças gigantes e uma janela do tamanho do mundo. Dela, vejo o pôr do sol nas distantes ilhas da Grécia e quando é noite, a minha janela abraça todas as estrelas.


Minha janela de tão aberta
mais parece o coração de alguém que mora no céu
lá passa nuvem, balão, estrela cadente,

pássaro, pipa, gases tóxicos...

na minha janela passa todo o vento do mundo
 - e o vento, todos sabem, é a borracha das mágoas...
 

A minha janela foi Deus que me deu, mas ele não me ensinou como fecha-la  e ela vive aberta a todas as coisas do mundo. Nos tempos de guerra e desastres eu choro até adormecer e quando acordo, pulo da janela, de pára-quedas, para lavar a alma na fumaça das nuvens.



De lá, de minha janela, vejo naus e naves cruzarem o horizonte em busca de tesouros alheios e isso me aborrece... não fosse a vida tão cheia de homens, minha janela seria como a tela de um cinema e quando chegasse o fim tudo estarai bem.
 
 
*

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Dicionário das coisas do amor | LEMBRANÇAS



As palavras que tantas vezes o meu corpo disse ao teu,
transparentes e cortantes como vidro,  sei que você não deixou quebrar, caindo no chão do esquecimento.

(Embora eu saiba que você as tem guardado como fotografias antigas em caixas de sapato, que não se quer perder, mas também que não se quer lembrar...)
 
que os gumes das lembranças sempre cortam as carnes do tempo!
 
*

domingo, 17 de janeiro de 2010

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Inoxidável



Quero viver no mar...
como um cais, um porto, um navio, um peixe... quero ser como o próprio sargaço deitado no chão ou as âncoras que ao chão do mar se agarram. Quero ser como os barcos, que depois do trabalho dormem na praia sem preocupações e lá amanhecem. Quero ser as barracas que tem na cabeça cabelos de palha que o vento balança e penteia. Quero ser aquele som de ondas que acalma e afasta o desassossego.
quero esconder no sal do mar meu coração
bruto seixo de aço inoxidável.




*

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

domingo, 10 de janeiro de 2010

A Flama Tremula

Muito de longe, a vejo tremer e vejo o vivo rubro da flama tremula da estrela. Na estrada, corre o carro muito rápido, sem conseguir afastar-se, nem aproximar-se dela... mistérios da física já esclarecidos que não sei explicar aqui... o fato é que a flama tremula da estrela estava lá, sobre nós, abençoando a escuridão daqueles sítios desertos. Para quem piscam as estrelas afinal?...

continua...

sábado, 9 de janeiro de 2010

Dicionário das coisas do céu | AMIGOS



O dia que amanhece tem em si, sempre, uma nova esperança.



E ao fim de tudo, o que levamos da vida é apenas aquilo que recebemos inteiramente grátis: alvoradas, paisagens, lusco-fuscos, estrelas, cores, natureza... amigos...










*

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

"Quanto vale a vida?"



"Quanto vale a vida longe de quem nos faz viver..."
(Engenheiros do Hawaii)

*

Outras Pessoas



Enquanto a reta do caminho se estendia até as nuvens no horizonte, eu lambia com a vista cada paisagem, tentando sugar para minha alma a dureza das pedras e a resistência dos cactos. 
Se a âncora do medo me prende, a catapulta da liberdade me lança. E fui... quilômetro a quilômetro, pisar a terra de outras pessoas, respirar o ar de outras pessoas... fui buscar outras pessoas dentro de mim.

*

"...são as pequenas coisas que valem mais!"




Eu sou tão desimportante quanto um pardal...
mas, como o pardal, eu posso voar!

*

sábado, 2 de janeiro de 2010