sábado, 22 de fevereiro de 2014

Das coisas que não podem parar, já tenho o coração e o tempo.

Cotidiano da Alma. Ezequiel Rodrigues.
       
        Das coisas que não podem parar, já tenho o coração e o tempo.  E o tempo todo estive em movimento sem chegar realmente a lugar nenhum. Estive a sonhar com grandes coisas mas a realidade me veio pequena. Estive pronto para tudo e apenas o nada me aconteceu. Ainda assim construi minha fortaleza e vivo protegido nela.

        Hoje não tenho tempo para ressentimentos. Sou conformado com as minhas angústias. Domei a todas e as mantenho sob chicote. Não as posso destruir e não deixo que me destruam. Convivemos assim. Está dando certo! Me mantenho nem muito feliz nem muito triste. Apenas vivo os dias que vão chegando, um a um, devagar, no ritmo do tempo de Deus. 

Fortaleza dos Reis Magos. Natal. Rio Grande do Norte.

         
       Assim, vivo minha própria vida. Gosto de acordar cedo. Gosto de janelas grandes e abertas. Detesto cadeados, trancas e grades. Não troco meus pés descalços por sapatos de ninguém. Gosto de dias sem compromissos. Gosto do vento que faz embaixo das árvores e a conversa dos pássaros. Gosto do cheiro de maresia e de todos os barulhos do mar. E à hora do sol se por não preciso de mais nada que não seja estar ali. Pensando nas poucas pessoas que sei que pensam em mim.

         Aprendi que a melhor forma de manter-se longe do mal e ser bom e fazer o bem. Ninguém é de todo mal que não consiga fazer algo bom por alguém. Uma pessoa boa é naturalmente protegida contra certas coisas das pessoas ruins. Creio que e confiança em Deus é o "amuleto" para estar vivo em segurança.

Cotidiano da Alma. Ezequiel Rodrigues.