quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Vale à Pena!


Não é fácil aproximar-se de mim.
Não é fácil andar por mim:
Explorar-me,
Desvendar-me,
Conhecer-me não é fácil.

Não é fácil vencer os meus íngremes,
Minhas escarpas,
Minhas farpas.

Não é fácil cruzar meus desertos.
Não é fácil mapear-me:
Quedas e espinhos te perseguirão,
Tempestades e terremotos te açoitarão!

Não é fácil escalar minhas encostas escorregadias,
Meus humores pontiagudos
Meus penhascos toscos,
Minhas montanhas de sal.

Não é fácil descobrir meus tesouros,
Achar-me a botija,
Fotografar-me o arco-íris...
Não é fácil observar o nascer
E o pôr-se do meu sol.

Estudar fases na minha lua não é fácil.

Não é fácil entender-me a língua.
Não é fácil estender-me a mão...
Não é fácil...
Mas vale a pena!
____________________
*