segunda-feira, 25 de maio de 2009

Dicionário das Coisas do Amor | COVARDIA



trago nos olhos a rocha da amargura
que o lamber infinito do tempo não disolve!

trago na face um rosto cansado
e o desassossego da minha pessoa, exposto!



trago no rosto o tempo escasso
o gosto amargo e nostalgico do fim das coisas.

"o que ainda faço aqui?"
se todos se fazem esta pergunta
neste mundo não fica ninguém!




meu coração é um oceano insosso...
um covarde, que foje da vida:
um D. Quixote às avessas...
___________
@zekrodrigues